terça-feira, 18 de dezembro de 2018

DESIGN DE COMUNICAÇÃO | Da série grandes capas. The New Yorker.
SEXO, MENTIRAS E LABREGOS | Os republicanos americanos no congresso são o que for preciso. A verdade é um conceito estranho que resvala na indiferença e que não é bem vinda se não traz votos. Se um indescritível labrego como Trump lhes dá vitórias, venha o labrego para o estrado. American way of life.
Fonte TSF

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

PROIBIR, PROIBIR SEMPRE! | Os ditadores detestam os prazeres dos outros. Principalmente quando põem em causa as suas ditaduras. Sexo e protesto são transversais a muitas expressões artísticas. As drogas surgem aqui no rol como ornamento popular para justificar actos. Asim vai o mundo. De controle em controle até à proibição total. Há quem se choque por chamarmos a isto fascismo. Se calhar têm razão. Não é. Já não é preciso sê-lo. Mas vai dar ao mesmo.
Fonte Blitz
facebook

domingo, 16 de dezembro de 2018

CHOQUE E LUTO | Portugal está de luto. Quatro profissionais habituados a salvar vidas morrem de maneira trágica. Pessoas com vidas e vontade de vivê-las morrem em cumprimento de uma profissão que abraçaram com vocação e elevação. Merecem todo o nosso respeito. A solidariedade já não vai a tempo. 
(O jovem co-piloto era filho dos meus amigos Lina Singéis e  Luis Rosindo, e sobrinho da intérprete de jazz Guida de Palma. Respeitando o momento de grande sofrimento, envio-lhes um grande abraço de sentido pesar).

facebook

sábado, 15 de dezembro de 2018

FILOSOFIA A PÉS JUNTOS | Foi a última sessão do ano, na Casa da Cultura, Setúbal. Interpretação de conceitos do nosso dia-a-dia em debate inteligente e exigente. É assim que encaramos a cultura, o pensamento e a política no nosso dia-a-dia. Até para o ano, com outros temas e vontade de os debater.
Fotografias de Fernando Pinho

facebook

sexta-feira, 14 de dezembro de 2018

BRUNO DA PONTE | Morreu Bruno da Ponte. Exigente e rigoroso, a sua actividade circulou por várias áreas da cultura. Só podemos estar agradecidos por termos partilhado o seu tempo. 
facebook

OSCAR MURILLO | Risca, espalha tinta, rasga, cola. Desenvolve vários projectos no mesmo espaço, comandado pelo comportamento das matérias. As superfícies recuperadas por este extraordinário artista vibram. O respeito pelo tempo não é passado; é futuro. Um artista a ter em conta. Olhar estes trabalhos dá-nos liberdade. Desejo. A liberdade e o desejo contra a ditadura da habilidade. Ter vontade de olhar o mundo também ajuda. Ajuda sempre.
facebook

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

MACACOS DE IMITAÇÃO | Em Paris vestiram uns coletes garridos e protestaram. Muitos partiram tudo o que lhes apareceu pela frente. Outros marcharam civilizadamente. Diz que a convocação partiu das redes e a coisa alastrou mesmo.
Em Portugal, uns esforçados militantes contra a política dos políticos, resolveu imitar os recalcitrantes franceses até na vestimenta. Dizem que isto nunca esteve tão mal e ameaçam parar o país. Mas por cá o apelo só convenceu a extrema-direita. Os macacos de imitação são poucos. E se parassem o país seria muito mau sinal.
facebook

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

OS DOIS LADOS DA FRONTEIRA | Somos donos do chão que pisamos? É razoável ajudarmos quem não tem chão? Que regras devemos respeitar? Que fumo devemos seguir? António De Castro Caeiro vai falar de tudo isto e muito mais na próxima sexta-feira. João Paulo Cotrim vai estar a controlar as fronteiras. Vai ser fixe. 
facebook

sábado, 8 de dezembro de 2018

DEMOCRACIA, PARA QUE TE QUERO | Eu julgava que o Montepio não era um banco como os outros. Há muito que sou associado porque pensei que ali os atropelos eram mais vigiados e possíveis de serem corrigidos. Enganei-me, confesso. A lista de todos os atropelos venceu. Com muito menor expressão, é certo, mas venceu. Ou seja: a democracia permitiu, aqui como em tanto lugar, que a bagunça vencesse. Se calhar é mesmo assim: nos bancos a democracia não serve para corrigir atropelos, mas sim para manter interesses estranhos. Obscuros. A democracia já não é o que era. Os bancos são o que sempre foram.
Nota: votei na lista C. Única que apresentou alternativa e gente decente. Perdi? Acho que não. Perdeu o Montepio e a seriedade. O que for soará.
facebook

quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

DA IMPUNIDADE | Não se sabe se o juiz que ouviu o energúmeno que agrediu a mulher considerou que não havia risco de reincidência. Provavelmente foi isso. Um gajo que agride a mulher, grávida em fim de tempo, pode perfeitamente arrepender-se perante o juiz para não perder a liberdade. Do ponto de vista dele, do gajo, do energúmeno, isso é razoável. Do ponto de vista do juiz parece que também. Mas não é. É uma decisão injusta e que pode ter consequências. Oxalá nada aconteça de grave. E oxalá o energúmeno seja detido. É uma questão de justiça.
facebook

terça-feira, 4 de dezembro de 2018

ANDALUZIA ÀS ESCURAS | A gente aqui quase que nem deu pela coisa. A imprensa estava mais ocupada em assuntos muito mais interessantes. A Andaluzia foi a votos e elegeu fascistas para a governarem. Um partido novo com ideias velhas vai aliar-se ao velho PP, partido agora dirigido por um franquista convicto e assumido. Pensávamos nós que Aznar era o fim da linha. Aquela região espanhola passa assim da esquerda para a extrema-direita mais arrogante e troglodita. O programa eleitoral do tal Vox governante é tenebroso. Mas foram as pessoas que votaram naquele esterco. A democracia já começa a doer. Tem de ser inventado um antídoto para tamanha maleita. Estas escolhas podem matar a democracia. 
facebook

domingo, 2 de dezembro de 2018


A EXCELÊNCIA E DO GOSTO | Três performances que se desenvolvem à volta de três microfones. Três maneiras de experimentar o corpo como intérprete de atitudes e dúvidas do dia-a-dia, logo, preocupações maiores. O ser humano — Andresa Soares, Máquina Agradável — como veículo dessa eficaz interpretação. O corpo percebe os limites, mas tenta excedê-los. Quer contar a história até ao fim. Foi muito bom.
Jorge Humberto apresentou-se na sala ao lado, com o seu instrumento de cordas, para a segunda prestação desta nova ideia a desenvolver na Casa Da Cultura | Setúbal. Começa por se apresentar como compositor de música tradicional. Percebe-se que é assim, mas percebe-se também que experimenta. Anda à procura de uma sonoridade que o surpreenda a ele primeiro, para depois nos ser fornecida. Quer esquecer a ideia de que é a saudade que nos move. Quer ousar. Procurar o mundo. Descobrir a autenticidade dos lugares para ser um artista inteiro. Surpreender-se. Jorge Humberto quer ser um homem do seu tempo, que de príncipes renascentistas está o mundo cheio. Ainda por cima príncipes e princesas de pechisbeque. Está a conseguir. Espectáculo acústico de grande qualidade artística e calor humano.
Foi isto que aconteceu ontem cá na Casa, preenchendo esta nova iniciativa — Duplicidade — e permitindo que se diga: aposta ganha. Até breve.
Fotografias de Fernando Pinho

facebook

sábado, 1 de dezembro de 2018


DUPLICIDADES | Hoje, na Casa Da Cultura | Setúbal. Múltiplas culturas. A não perder. 

facebook
O CENTRO DO MUNDO | Foi o último Muito cá de casa do ano. O livro merece leitura e desperta curiosidades várias. Muito bom. Foi a Ana Cristina Leonardo que o escreveu e teve a gentileza de aceitar o nosso convite para vir falar sobre as suas histórias na Sala José Afonso, da Casa Da Cultura | Setúbal. A Rosa Azevedo leu o livro e deu a sua opinião. Rigorosa e atenta. Seguiu-se a conversa. Saborosa, muito saborosa. Muito obrigado, Ana Cristina. Ficamos a aguardar mais histórias.
Fotografia de Fernando Pinho

facebook

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

EM VOZ ALTA | Foi mesmo um encerramento e pêras. Jorge Silva Melo voltou com os poetas portugueses e a grande poesia. Trouxe consigo, pela primeira vez, Maria João Luís, que leu Cesariny com atitude e até emoção. Noite magnífica na Casa Da Cultura | Setúbal. Falo em encerramento do EM VOZ ALTA de 2018. Não em encerramento por completo. Em 2019 vamos continuar com mais poetas e actores que merecem audição. Já não passamos sem isto.
Fotografias de Fernando Pinho
facebook

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

O VOTO DO POLVOOs aficcionados, gente do povo que ganha mal e a más horas, pode agora assistir a este belíssimo espectáculo a preços muito mais em conta. Apoiam-se assim os empreendedores ganadeiros, os garbosos empresários do ramo, os lustrosos "artistas" da praça e público em geral. É obra. Muito obrigado aos senhores deputados que tornam sonhos possíveis. Podem limpar as mãos à parede.
facebook
JUSTIÇA, PARA QUE TE QUERO? | Há países onde os seus presidentes são doidos varridos. Mas há outros em que os presidentes acumulam qualidades: são doidos e criminosos. Nas Filipinas saiu em sorteio eleitoral um destes cromos. Acumula parvoíce com apologia da justiça pelas próprias mãos. Felizmente há juízes que não concordam com a lei da selva. A coabitação dos poderes supremos deve ser complicada por lá.
Fonte Expresso
facebook

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

ANA CRISTINA LEONARDO MUITO CÁ DE CASA | O Centro do Mundo é o título do seu mais recente livro. Este Muito cá de casa já tinha sido anunciado para a sexta-feira passada. Confusões corrigidas. É desta que vamos estar à conversa com Ana Cristina Leonardo. A Rosa Azevedo e eu vamos estar por lá. Vai ser bom estar ali. Apareçam.
facebook

terça-feira, 27 de novembro de 2018

MÁRIO CESARINY EM VOZ ALTA | A isto chama-se acabar o ano em beleza. O último EM VOZ ALTA do ano, pelos Artistas Unidos, vai recordar a poesia de Mário Cesariny. Vamos receber, na sala José Afonso, da Casa Da Cultura | SetúbalMaria João Luis e Jorge Silva Melo, que vão dizer textos do poeta. Tudo nomes de um plano muito elevado. Um luxo, digo eu. É já na próxima quinta-feira. Até lá.
facebook

segunda-feira, 26 de novembro de 2018

PARA ACABAR DE VEZ COM A CULTURA | Foi Woddy Aleen quem se lembrou de abordar o assunto. Com ironia, que a sério, a sério só se leva quem não o é. Adiante. A ministra da Cultura do país Portugal foi a uma feira do livro no estrangeiro onde o livro e a cultura de Portugal estão a ser louvados. Uma jornalista atenta e culta disparou com a mais oportuna das perguntas sobre livros e cultura portuguesa. O que achava a ministra do velcro no lombo dos bois proposto por um deputado qualquer. A ministra, que estava a entrar ou a sair de um evento sobre o livro e a cultura de Portugal, não respondeu como eu responderia, até porque é ministra de Portugal, mas respondeu à letra. Armou-se um trinta e um. Vá de passar a declaração até à exaustão. Mesmo tirada de contexto. Até parece que a ministra é contra a imprensa e abomina cultura portuguesa. É assim que se faz quando se quer arrasar alguém. Ah, querem saber o que eu responderia aos zelosos angariadores de informação ansiosos por sangue? Eh, pá, não digo. Isto apesar de não estar a pensar exercer funções governamentais em tempo algum. É mais para não ser bloqueado aqui no estaminé.
facebook

BERNARDO BERTOLUCCI | Fez filmes que marcaram um tempo. O nosso tempo. Filmou o que muitos achavam que nunca deveria ser filmado. Fez bem. Isso foi bom. Viveu o cinema como gente grande. Foi grande. Ficam os filmes. É muito.
facebook

domingo, 25 de novembro de 2018

ANA QUINTINO | A exposição de pintura de Ana Quintino encerra na próxima quinta-feira, dia 29, às 19 horas. A autora estará presente para sugerir um olhar. Apareçam.
facebook

sábado, 24 de novembro de 2018

VIDAS TRADUZIDAS | Artur Guerra traduz. Bem, muito bem, pelo que nos fornece esta notícia e pelo conhecimento que já tínhamos do seu trabalho. O Artur Guerra e a Cristina Rodriguez constituem dupla de peso na tradução em Portugal. Na tradução e na vida. Desta vez foi o Artur que foi buscar o troféu, mas esta não é a primeira vez que são reconhecidos. E eu tenho o grato prazer de os ter como amigos há um ror de anos. Daí o contentamento que aqui traduzo. Parabéns ao Artur, mas também à Cristina. Não é possível fazermos separações.
Fonte Público
facebook

quinta-feira, 22 de novembro de 2018

SEM QUALIDADES | Jair Bolsonaro e ministros do seu governo com problemas na justiça? E então? Sérgio Moro não vai para lá resolver esses assuntos mixurucas? Temos é que achar uma maneira de meter Haddad a apodrecer na prisão. Ele uma vez não pagou o café no refeitório da universidade. Apure-se. Investigue-se. Ou então invente-se uma falcatrua qualquer. Esqueceu-se de dar comida ao gato quando andava em campanha, por exemplo. Ah, ok, isso não conta. Bichos não são gente. São como os bandidos do PT. Mas arranjem aí qualquer coisa. É preciso eliminar. Faz falta encontrar culpados de seja o que for. O resto são balelas da esquerda. 
facebook

terça-feira, 20 de novembro de 2018

TAL PAI, TAL FILHA | Mas então não se vê logo que a rapariga é tonta como o pai? Sabem lá eles o que são regras e chatices congéneres. Quem sai aos seus...
Fonte Expresso
facebook

domingo, 18 de novembro de 2018

PONTO FINAL | Contribuição para a causa. Solidariedade com a ministra da Cultura. Apoio ao fim da exibição marialva. A estupidez não se respeita - combate-se.
facebook
DA HIPOCRISIA E DO AMOR AOS ANIMAIS | É ler este texto de José Pacheco Pereira. É ler. Todo. Está no Público:
As histórias ridículas de como os defensores das touradas “amam os touros” (sic), de como prezam a valentia dos animais, de como o “touro bravo” enobrece os campos do Ribatejo, para depois ser trazido à arena de tortura e morte como se esse fosse o seu destino teleológico, a cultura machista da “coragem” perante os mais fracos (o touro é o mais fraco dentro da praça), devem pouco a pouco envelhecer no passado. É isso mesmo que chamamos civilização. O mundo em que vivemos é duro, desigual, injusto, violento. Quem saiba história sabe que não há maneira de o tornar limpinho, higiénico, pacífico, nem em séculos, quanto mais numa geração. Mas acabar com as touradas, com a tortura dos touros para satisfação sádica das massas, é um passo no bom sentido. Porque senão vivemos na pior das hipocrisias em que matar ou tratar mal um cão e um gato pode levar à prisão — e bem —, mas em que no meio de cidades e vilas de uma parte do país podemos aplaudir a tortura, o sangue e a morte.
Fonte Público
facebook
O ALEGRE SE FEZ TRISTE | Alegre retorquiu a Costa e ao Governo em entrevista ao DN. Já não percebe quase nada do que está a acontecer. Confunde liberdade com tradição e alardeia disparates sem fim. À falta de explicação razoável para o espectáculo que defende com unhas e dentes, dá dentadas nos deputados do seu partido que são razoáveis. Têm medos, diz. O destemido Alegre ainda não percebeu que o tempo em que se inventavam medos para além do próprio medo já acabou. Existe de facto um progresso civilizacional, apesar de Alegre estar longe de o perceber. As pessoas não têm de ter medo. Nem dele, que é um triste.
Fonte DN
facebook
AS COISAS QUE SÃO COMO SÃO | É certo que os idiotas estão a minar o mundo. Mas, quando se excedem, há seguidores que se afastam. Ninguém quer ficar no retrato ao lado de um idiota arrogante e prepotente. Há uma noção do bom senso que às vezes se sobrepõe à estupidez. Trump inaugurou um certo lirismo parolo e arrogante na Casa Branca. Mas, nas horas de exaltação, já há quem não se renda às performances do parolo.
Fonte Expresso
facebook

sábado, 17 de novembro de 2018

LOUREIRO DOS SANTOS | Democrata. Intelectual da tropa. Pensava, agia. Teve atitudes, foi destemido e foi ponderado. Um beijo para as minhas amigas Sofia e Cristina.
Fonte Público
facebook

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

AS PESSOAS NÃO SÃO COISAS | Enquanto tivermos a defesa da Economia e o bem estar dos empreendedores como principal desígnio do sistema, borrifando-se o sistema para a economia das pessoas, não passamos disto. É que são as pessoas que fazem as coisas, estúpidos.
Fonte Expresso
facebook

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

FAZ QUE ANDA MAS NÃO ANDA | Estava na cara que ia dar nisto. Cameron fez o primeiro disparate. Os seus sucessores andaram até agora no faz que anda mas não anda. Parece de brincadeira, mas quem se lixa é quem quer viver em comunidade sem obstáculos estruturais sérios. Mais uma vez foi a extrema-direita troglodita que iniciou a tramóia. A extrema-direita que está a minar tudo. Acordemos. Ainda vamos a tempo.
Fonte DN
facebook
MARIALVAS DE ESQUERDA? | É incrível como este assunto provoca discórdias, quando só deveria reunir consensos. É que aquilo é genericamente uma trampa e culturalmente um espectáculo pouco recomendável. Vão ser parolos retrógados para um raio que os parta. Ou para uma bandarilha que lhes fure a consciência. Ok, a imagem é foleira. E então? Também tenho direito, ou será que só os marialvas e outros palonços aficionados têm direito a ser foleiros?
Fonte Público
facebook

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

MÁRIO CESARINY EM VOZ ALTA | A isto chama-se acabar o ano em beleza. O último EM VOZ ALTA do ano, pelos Artistas Unidos, vai recordar a poesia de Mário Cesariny. E vamos receber, na sala José Afonso, da Casa Da Cultura | SetúbalMaria João Luís e Jorge Silva Melo, que vão dizer textos do poeta. Tudo nomes de um plano muito elevado. Um luxo, digo eu.
facebook

terça-feira, 13 de novembro de 2018

STAN LEE | Homenagem.
facebook

RECEITUÁRIO | É hoje. A não perder o rasto deste extraordinário trabalho do João Francisco Vilhena

facebook
DIGAM LÁ O QUE DISSEREM | A gente não tem nada a ver com a vida dos outros. Mas estas mudanças nas vidas dos outros dão alguma satisfação às nossas vidas. Digo eu, que não tenho nada a ver com isto.
Fonte Público
facebook

segunda-feira, 12 de novembro de 2018


DUPLICIDADE | É um novo tipo de iniciativa na Casa Da Cultura | Setúbal. O primeiro sábado de cada mês recebe espectáculos diferentes mas enquadrados nesta Multiplicidade. Vamos começar no dia 1 de dezembro. e não são dois, mas sim três os espectáculos afectos a este novo formato:
Performance e Música Africana.
MICRO-SERES
Concepção/texto/performance: Andresa Soares
Colaboração dramaturgia/instalação sonora/desenho de luz: Gonçalo Alegria
Imagem micro-seres: Gonçalo Alegria
Produção: Máquina Agradável
JORGE HUMBERTO
Músico e cantor caboverdiano.
Actuará no B.Leza Clube na véspera, sexta-feira, e faz uma última exibição aqui na Casa, antes de regressar a Paris, cidade onde vive.
Isto vai ser fixe!
ARQUITECTURA PREMIADA | Carrilho da graça vence prémio Leon Battista Alberti. Merecido prémio para projectos de excelência. Conheço pormenores do excelente trabalho — em desenvolvimento — aplicado pelo arquitecto em Setúbal. Excelente porque respeita o passado, percebe o presente e prepara o futuro. Preocupações e saberes que devem assistir a quem faz um projecto de recuperação, tão distantes de outras "recuperações" desrespeitadoras destes propósitos, e muito mais envolvidas na abjecção do pindérico decorativo. Parabéns, arquitecto Carrilho da Graça.
Fonte Público
facebook

domingo, 11 de novembro de 2018

ÉTICA E ESTÉTICA | A carta de António Costa a Alegre põe pontos nos is e esclarece que não está em causa a proibição, apesar de ele não ser aficcionado. Resposta à primeiro-ministro com sentido da proporcionalidade e da responsabilidade. Já não percebo outra coisa: os meus amigos que pedem a Manuel Alegre para se limitar a escrever poesia já que é o que sabe fazer bem, não deverão reler o que o homem escreve? A poesia assim-assim do poeta escrevinhador de panfletos é boa? Para quem? Se calhar para quem gosta do empolgamento panfletário. Ele que vanglorie a festa brava. Pode ser que se safe. Habituei-me a ler outra poesia. E a frequentar outras culturas.
Fonte Observador
facebook

sábado, 10 de novembro de 2018

PASSWORDS E VIRGENS OFENDIDAS | Tristemente famosa por uns dias.
No futuro, todos terão os seus quinze minutos de fama.
Andy Warhol
E aqueles, que por obras valerosas
Se vão da lei da morte libertando.

Luiz de Camões

facebook
+