segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

OS VENCEDORES SOMOS NÓS | É hoje que vai dar o Festival dos óscares? Perdão, da canção? Mas... O filme que está no pelotão da frente para atingir o óscar não é tirado de um festival de canções? Ah, pois é, são coisas diferentes. É que parece tudo farinha do mesmo saco. Bem, agora a sério. Não tenciono assistir à entrega dos bonecos americanos, nem me passa pela cabeça perder tempo a ouvir cançonetas da treta. Apesar de nada ter contra o cinema americano, é claro. Olha, arrasem lá a merda do Trump. Divirtam-se. Eu acabei de sair do cinema. vi Toni Erdmann. Fita europeia. É este ar que eu respiro.
facebook

domingo, 26 de fevereiro de 2017

DESIGN DE COMUNICAÇÃO | Ilustração é opinião. Grande capa.
Fonte http://www.newyorker.com
APONTAMENTO HUMORÍSTICO | Cristas diz que Portugal deve muito a Núncio. Importa-se de dizer quanto? Ou é menos incontável do que os dez mil milhões? Veja lá, faça as contas. A gente depois vê o que se pode arranjar. Não queremos ficar com dívidas a perturbarem-nos a consciência.
Fonte RR
facebook
VERGONHAS | O Jornal de Angola entende que a Justiça deve ser controlada pelo poder político. O Jornal de Angola tem uma estranha definição de vergonha: a falta dela é deixar que a justiça funcione, pelos vistos. Esta crítica do Jornal de Angola é vergonhosa. Em Angola, o poder político calçou a mão de ferro. Não há palavras que definam as atitudes do governo angolano. 
Fonte
facebook

sábado, 25 de fevereiro de 2017



MUITO CÁ DE CASA | A gente põe-se a ouvir António Oliveira e Castro, e não nos apetece sair dali. Ontem foi assim, na Casa Da Cultura | Setúbal. As histórias sucedem-se. Histórias de vida que de tão intensas passam a criação literária. É isso que António faz nos livros. Passa para lá tudo o que viveu dando às suas histórias universalidade e rigor literário. Foi muito bom estar com ele e com toda a gente que apareceu — muita gente — em mais esta sessão Muito cá de casa. As melhoras para o nosso amigo Viriato Soromenho-Marques, que ficou em casa incomodado por um irritante vírus. Muito obrigado ao Luis Rebelo, pelo excelente repasto na sua Casa do Peixe. E muito obrigado ao Fernando Pinho que, como habitualmente registou a coisa em imagens. Vamos continuar.
facebook

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

FOI NUM DIA ASSIM, HÁ TRINTA ANOSHá trinta anos despedíamo-nos de José Afonso. O aniversário da morte de alguém com uma vida tão cheia deve ser assinalado. José Afonso marcou gerações. Era uma figura da cultura que abriu novos caminhos à cultura portuguesa. Combateu a mediocridade que hoje por aí floresce como erva daninha. Mas influenciou todos os músicos que hoje nos fazem virar os ouvidos para os novos sons. Foi percursor de sonoridades. Permitiu que tivéssemos orgulho na Música Portuguesa, porque criou uma nova maneira de fazer música. Era um esteta. Procurava a decência em tudo o que fazia. Convocou os melhores para com ele trabalharem. Os mais jovens. Os que estavam disponíveis para experimentar. Na música foi o que foi — genial. Mas também a imagem que envolvia o seu trabalho foi sua preocupação. As capas dos discos de José Afonso têm um lugar na história do design gráfico. José Santa-Bárbara, José Brandão, João de Azevedo e Alberto Lopes assinaram a direcção gráfica dos seus álbuns. Também aqui a inovação foi vontade. Para assinalar estes trinta anos sem Zeca, propus desenvolver uma exposição que aborde a estética visual na sua obra. Será a exposição de abril na galeria da Casa Da Cultura | Setúbal. A universalidade da obra de José Afonso será assim homenageada pela cidade onde viveu e onde deixou tantos amigos. Muito obrigado, Zeca.
facebook

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

OS SONHADORESAntónio Oliveira e Castro tem novo livro que vai ser apresentado na Casa Da Cultura | Setúbal, em mais uma sessão Muito cá de casa, na próxima sexta-feira, dia 24, às 22 horas. Este é o terceiro romance do autor. Viriato Soromenho-Marques leu o livro e agora vai dizer o que pensa. Para a contra-capa da edição escreveu nota que enquadra a coisa historicamente. Diz: “Nesta edição literária, de matéria consistente e flexibilidade formal notável, António Oliveira e Castro conduz o leitor numa acelerada, às vezes vertiginosa, viagem pela história portuguesa dos últimos dois séculos”. É, portanto, por uma obra carregada de histórias que viajamos quando caminhamos pela leitura desta história. O autor tem uma vida vivida que lhe proporciona contar estes episódios com o rigor e a naturalidade de quem conta uma história passada mesmo ali ao nosso lado. Convidados.

E TUDO O OFFSHOR LEVOU | Percebo. Os atentos e prestimosos zeladores das finanças públicas fazem tudo para apanhar quem se vê aflito para pagar os impostos. Os exemplos são mato. Conheço quem tenha levado com uma penhora no lombo por causa de um desacerto de 14 cêntimos. Mas caricaturas à parte, eu, que não posso viver sem pagar às zelosas finanças públicas, tenho razões de queixa que enchiam metros desta língua de texto. Mas os zelosos financiais funcionários fazem o que têm a fazer. Assim é que é. Paga quem não tem outro remédio. Quem pode manda-os zarpar, e zarpa com o carcanhol. Ah, pois. Queriam a demasia?

INFORMAÇÃO E PROPAGANDA | O homem quis dar nas vistas e lembrou-se desta. Não se percebe como vai ser feita a proposta. Como se aplica uma ideia tão brilhante? Como se regulamenta? Bem, sexo é sempre bom, digo eu, mas esta parece-me uma ideia do tipo não fode nem...
Fonte JN

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

CASOS DE POLÍCIA | Trump gabou-se por não pagar impostos. Revela esperteza, disse ele. Agora é esta que paga com fundos europeus. Caso se confirme a tramóia, a mulher vai sair em ombros desta investigação. A extrema-direita é contra a união dos países europeus. O que faz no parlamento é guerrilha. Logo, esta polémica só a vai ajudar. A direita adora o chico-espertismo. A extrema-direita faz disso bandeira. Parece que estamos no bom caminho para colocar esta criatura inenarrável no Eliseu.
Fonte NOTÍCIAS AO MINUTO
facebook

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

FACTOS ALTERNATIVOS | Esta prática vai de vento em popa. Aquela criatura horrível que ocupa a Casa Branca continua em campanha. Faz comícios e diz o que lhe dá na moleirinha. Ele sabe que pode inventar o que quiser. Aquela gente que o ouve só o ouve a ele e só vê séries televisivas na FOX. São como ele. Os desmentidos são feitos na imprensa que acusa de desonesta. Os apoiantes não passam cartuxo às "falsidades" que desmentem o seu amado presidente. É preciso que isto se perceba muito bem. É necessário desmontar esta fraude que se apoderou do destino de muita gente. Todos os alertas e cuidados são pouco quando se lida com trogloditas deste jaez. 
Fonte DN
facebook

domingo, 19 de fevereiro de 2017

NEGÓCIOS DE FAMÍLIA | Manter um negócio de família não é fácil. O estado americano tem de zelar pela saúde financeira do seu representante máximo. Ter um grande estadista à frente dos destinos do país não pode ser de borla. E um comediante em performance diária — mesmo que o espectáculo seja grotesco — também tem os seus custos. Por ali, muitos actores de comédia são muito bem pagos. 
Fonte NOTÍCIAS AO MINUTO
facebook

sábado, 18 de fevereiro de 2017

ATITUDES E FALTA DELAS |Marcelo Rebelo de Sousa, em encontro com uns seus correligionários religiosos, diz — claro que o que ele diz nem sempre se escreve — que não vai publicar memórias. Em clara alusão ao seu antecessor, acrescenta: "o que tiver a dizer digo-o durante o mandato". Bem, desta vez, e dito assim, dá para acreditar que assim seja. Mas acredito que alguém andará já a tomar notas para que, logo após os mandatos, saia para os escaparates um foto-resumo da matéria presidencial. De certeza muito mais interessante do que o calhamaço básico e ressabiado do "senhor quintas-feiras". Bom fim-de semana.
facebook

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

CAIXA, MENTIRAS E SMS | Percebo esta fúria dos rigorosos defensores do rigor democrático. Gente que nunca mentiu, que nunca atropelou a Constituição e que sempre convocou rigorosos ministros das finanças para reduzir o défice público, não pode pactuar com este grave atropelo ao rigor dos comportamentos democráticos. Um ministro que se atreve a governar sem saber a importância política de uma troca de mensagens, não merece ser ministro. Chamem de imediato a grande ministra Maria Luís, essa grande figura da política que nunca faltou à verdade. Ou o grande Gaspar, esse grande defensor das causas públicas. Não queremos ministros incompetentes que não sabem o que vale uma sms. Percebo perfeitamente o incómodo da oposição e da comunicação social que a coadjuva.
Fonte Expresso
facebook

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

A MINHA CASA NÃO TEM DENTROAntónio Jorge Gonçalves vai estar com esta exposição, a partir de hoje ao fim da tarde, na Abysmo galeria. E vai ser o ilustrador contemporâneo convidado da Festa da Ilustração - Setúbal no próximo mês de junho. Seguir o trabalho de AJG é um gosto muito grande. Até já.
facebook

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

SOZINHOS EM CASA | Anda um optimismo excessivo no ar, dizem. Bons ares de Belém. Bons ares de Bruxelas. Os rapazolas do partido dito social democrata andam num desalinho. Insistem na tecla de que o rumo não é este. Vai tudo em sentido contrário. Só eles percorrem o bom caminho. Mas ninguém os ouve. Tudo lhes corre mal. Mal para eles. Bem para nós. Digo eu, que até sou excessivamente pouco optimista.
facebook

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

MÁRIO DIONISO | A exposição tem por título “Passageiro Clandestino | Mário Dionísio | 100 anos”. E, a seu propósito, decorrerá no próximo dia 18 de fevereiro, pelas 16h00, no Auditório do Museu do Neo-Realismo, o Colóquio “Projeção de Mário Dionísio”. Participam: Cristina Azevedo Tavares, investigadora e professora da Faculdade de Belas-Artes de Lisboa, e de António Pedro Pita, Diretor Científico do Museu do Neo-Realismo.
Quem estiver por aquelas bandas, faz muito bem em aparecer. Eu, que até não estou por perto, vou estar. Gosto muito de Mário Dionísio. Tudo o que é feito sobre ele me interessa.
facebook

sábado, 11 de fevereiro de 2017

MANUELA DE AZEVEDO | Morreu a primeira jornalista portuguesa. Jornalista num tempo que era difícil a expressão de opiniões. E, sendo mulher, mais difícil foi esse exercício. Claro que o jornalismo português só pode estar de luto. E nós todos só podemos estar reconhecidos a Manuel Azevedo. 
Fonte Público
facebook

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

METÁFORAS À PARTE | Percebido. Umas chapadas ou uns pontapés nunca mataram ninguém. Mas com cuidado. Com delicadeza. Se a contenda deixar marcas, o agressor ainda se arrisca a uma repreensão verbal. É uma chatice.
Fonte DN
facebook

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

TOALHAS FOFINHAS E POUCAS LETRAS | Acima de tudo o conforto. E nada de chatices com leituras maçadoras. Relatórios ligeiros e, de preferência, lidos por um assessor. Para ler já bastam as legendas que às vezes aparecem nos programas da TV por cabo. Aquilo é uma maçada assim, sem dobragem. Agora a sério: se este circo vai durar quatro anos, não haverá uma maneira de estarmos protegidos? Uma aplicação que faça blackout a notícias que satisfaçam o ego pouco exigente desta figurinha de opereta. O que é que a gente tem a ver com a vida de um básico indescritível que agora rebenta de orgulho por ser o mais famoso exemplar da humanidade? Ok, é bom que a gente perceba a trampa que Trump faz, mas isto é excessivo. Era uma questão de higiene. 
Fonte Público
facebook

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

TRUMP GROUP | Trump anda a comprar guerras por esse mundo fora, mas, nos intervalos, defende os negócios da família. A Casa Branca é a sede de um grupo empresarial familiar. Os EUA são chão para muito negócio rentável. A atitude do empresário é esclarecedora.
facebook
VIOLADORA DE LEIS | O taxista que acha que as leis são como as meninas virgens e são para ser violadas, foi desculpado por uma juíza que acha que aquilo é metáfora. Mas alguém acusou o homem de violar meninas virgens? Claro que é metáfora, então havia de ser o quê?! Mas as metáforas não revelam intenções? E não expressam atitudes criminosas? Pensará a juíza que metáfora é sempre poesia? Querem ver que o homem é um sensível poeta?!
facebook

terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

CULTURA "PRAPULAR" PORTUGUESA | Ainda o parolo e a parola, vá que não vá. O Tony da carreira musical deve encher-lhes os ouvidos. Mas, senhor ministro-poeta, havia necessidade?!
facebook

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

A SOLIDÃO DO IMPERADOR | Trump quer recuperar um império que exista omnipresente e omnipotente na sua relação com o resto do mundo. Os outros países andaram a aproveitar-se dos EUA, diz o imperador. Agora tudo vai mudar. Grandes outra vez. Como se alguma vez não tivesse sido assim. Os mandões do mundo. Os polícias de serviço. Os escolhedores de mão de obra barata. O imperador tem os conceitos todos baralhados. Trump não conhece a medida da relação qualidade-preço, nem quer saber da relação do trabalho com o ser humano. Só percebe de construção. De muros, de preferência. Ora, acontece que os seus vizinhos já não estão para o aturar, e querem-no ver pelas costas. Resta-lhe a população que por ignorância ou má-fé lhe reconhece grande valor. Valor que o homem não tem nem a dormir. O perigo agora está na exportação do "projecto". Na América não querem que o homem faça. Não o deixam. Vamos experimentar por cá. A Europa também já tem os seus trumps. Lá teremos que varrer essa trampa toda.
facebook

sábado, 4 de fevereiro de 2017

PALAVRA DO SENHOR | Pára tudo. Corram as cortinas. Escondam os hereges. Não se ponham para aí aos gritos enquanto o santo homem por aí andar. Não sejam malcriadões. O Presidente não quer incomodar o chefe do Estado do Vaticano. Enfim, tudo isto mais de cem anos depois da instalação da república, e mais de quarenta anos depois de vivermos em democracia política. Fiquemos pelas selfies. Vivam os afectos.
Fonte Jornal Económico
facebook

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

ENTRE A VIDA E A MORTE | Quando estas coisas vêm à baila entramos logo no território da feira de opinião do costume. Acontece com a eutanásia e acontece com tudo o que se convencionou chamar de fracturante. O moralismo religioso tenta de imediato tomar o comando do barco. Seja a interrupção voluntária de gravidezes, casamentos entre malta do mesmo sexo ou morte assistida reclamada pelo candidato a morto. A moralidade vigente nas mentes que ditam os rumos decreta: nada contra a vida. Tudo pela vida e pela "normalidade". O problema é que não é isso que está em causa. Cada um adopta a moralidade ou a normalidade que quiser. Quem só pensa em tolher e impedir tudo o que não está nos seus parâmetros de existência, não tem moral para impôr a sua moralidade aos outros. Claro que a vida está em primeiro lugar. E claro que a sociedade tem o dever de satisfazer a dignidade do ser humano enquanto ele existe. Mas quem não quer aguentar imposições da moralidade de quem decide também tem voz e tem o direito de desistir se quiser, ou não? E quem decide se quer aguentar um sofrimento é quem sofre. É só isso que está em causa. Somos donos do nosso corpo. As mentes doentias dos serôdios militantes do CDS/PP — esta nota é dirigida a todos os partidos ou seus militantes que não têm coragem de tomar posição — que assistam os seus doentes. Quem são vocês para decidir sobre a minha vida? Vivam e deixem viver. Ou morrer.
Na imagem, Ramón Sampedro
facebook

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

FERNANDO ASSIS PACHECO | Se tivesse vivido como merecia faria hoje oitenta anos. Morreu muito cedo. Havia tanta história para contar. As Edições tinta-da-china fizeram-nos o favor de publicar histórias que ele por aí contou a viva voz. Deliciosas, assim, escritas. É bom ler Fernando Assis Pacheco.
facebook

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

RECEITUÁRIO | Eu bem avisei. Agora é Mário Lopes, no Ípsilon, que recomenda. Live Low. Toada. Boa música.
Fonte Público
facebook

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

PELA DEMOCRACIA | Isto não pode ficar assim.
facebook

domingo, 29 de janeiro de 2017

TODOS CONTRA TRUMP | A besta está a ficar isolada. Tem de ficar isolada.
Fonte TSF
facebook

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

QUE FAREMOS QUANDO TUDO ARDE? | Andamos tão distraídos e indignados com as diatribes de Trump, que não damos muita importância às atitudes da primeira-ministra do reino que de unido tem muito pouco. As declarações habitualmente irresponsáveis do labrego da Casa Branca são agora coadjuvadas por esta criatura inenarrável. Esta gentalha no poder poderia ser um aviso: batemos no fundo. Só que já percebemos que o fundo está sempre um pouquinho mais abaixo disto tudo. Onde irá isto parar?
facebook

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

OS IDIOTAS | O que é curioso nesta cruzada trumpista contra tudo e todos é a cerimónia que rodeia a assinatura dos despachos. O homem olha para aquela porcaria com o ar de quem está a fazer a coisa mais admirável do mundo, rodeado de uma gente que o observa com enlevo. Os americanos vão um dia ter muita vergonha deste período da sua história. Período negro.
Fonte DN
facebook
NO TEMPO EM QUE OS ANIMAIS FALAVAM | Antigamente era mesmo assim. Os patrões sem princípios ditavam as regras por intermédio dos políticos que os representavam, perdão, defendiam. Com o ânimo fornecido pelo governo anterior chefiado pelo chato de Massamá, estes empresários de meia-tigela, perdão, padeiros do regime, convenceram-se que os seus tempos áureos podem voltar. Dizem o que pensam sem réstia de vergonha. Parecem loucos. Não são. Estou a chamar-lhes fascistas? Não confirmo nem desminto. Eles serão o que for preciso para defenderem estes pensamentos serôdios. São uns manhosos, vá.
Fonte Expresso
facebook

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

MÁRIO RUIVO | Morreu Mário Ruivo. Um grande senhor da ciência que muito fez para que o mar fosse tratado como merece. Um homem que olhava para o futuro com olhos de olhar a humanidade. Devemos-lhe muito. O meu reconhecimento fica aqui inscrito. 
Fonte TSF
facebook

terça-feira, 24 de janeiro de 2017

NUNO SARAIVA EM ALMADA | A exposição de Nuno Saraiva, ilustrador convidado da Festa da Ilustração - Setúbal 2016, vai agora estar em Almada. Abre na próxima sexta-feira. Convidados.
facebook

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

THE KING OF THE WORLDEm três dias já fez o que fez. Desfez tempos infinitos de negociações. Horas e horas de trabalho e boas vontades — concorde-se ou não com os intuitos — atirados para o cesto de papéis. É tão fácil fazer política. Tanta ignorância, arrogância e filha-da-putice não podem trazer nada de bom. Que o "reinado" seja breve.
Fonte DN
facebook

sábado, 21 de janeiro de 2017

PARA ACABAR DE VEZ COM A LITERATURA | Esclarecido nas primeiras linhas da entrevista: o autor entrevistado é "eclipsado nas páginas de crítica literária da imprensa nacional". Mas o esclarecimento continua: "Quero retirar a carga de iluminado que as pessoas têm dos escritores". Compreende-se o esforço da criatura, mas será que ele pensa mesmo que o que faz é literatura? 
Fonte DN
facebook
AMÉRICA PRIMEIRO | O ridículo presidente dos EUA pode mandar fazer os bonés que lhe dão um ar ainda mais ridículo lá na terra. A ideia dele é fazer tudo por lá. O resto do mundo que se lixe. A China faz parte do mundo para esquecer, não é verdade? A América primeiro. Aguardo ansioso a primeira declaração de um empresário que tenha negócios fora do território. Sabem se Tim Cook já disse onde vai fazer os objectos da Apple? E, já agora, espero que esclareça quanto teremos que pagar pelo MacBook Air. A não ser que os salários dos americanos fiquem ao nível dos praticados nos tais países para esquecer. Provavelmente teremos que mudar para uma marca com produtos fabricados nesses países. Ou muito me engano ou quem será para esquecer é o ridículo presidente americano.
facebook
+