domingo, 31 de julho de 2016

ORGULHO SEM PRECONCEITO | Não se contentou com a sorte que lhe forneceram. Quis ser mulher. Gente. Ser alguém numa sociedade que lhe tolheu os movimentos e as ideias. O irmão matou-a. Drogou-a e estrangulou-a para limpar o nome da família. Sujou as mãos com sangue. Mas isso não é sujidade para estas bestas. Que porcaria de mentalidade. E de gente.
Fonte Expresso
facebook
+