sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

MEDALHAS DA VERGONHA 
Já ninguém se lembrava da criatura. Mas toda a gente se lembra da tropelia que protagonizou para prejudicar o único prémio Nobel da literatura português. Cavaco borrifou-se para Saramago quando foi atribuída a distinção ao escritor, mas vem agora reconhecer o brilho do fruste secretário de Estado que o tentou tramar. De facto Sousa Lara só fica para a história por esse feito canalha. Há aqui uma coerência evidente. Cavaco também fica para a História como protagonista de cenas tristes. Vidas tristes.
facebook 
+