quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

PIROPO FINAL | Nunca fui de piropos. Não por timidez, mas porque acho a "atitude" foleira a olho. Uma parolice. Coisa ignóbil e bem triste. Há maneiras mais eficazes de revelar apreço e vontade de estar com quem se galanteia. Requerem outro humor? Mais habilidade? Talvez. Mas alguém aqui acha que a facilidade e a piada agressivamente rasca têm pinta ou requinte? O debate que para aí houve serviu para percebermos diferenças de atitudes perante a tropelia. O que a lei traz não combate nada inofensivo. Pelo menos estabelece regras de civilização e previne comportamentos pouco recomendáveis. Nada mau. Há quem só perceba as coisas muito bem explicadinhas. Há quem só ande bem a toque de caixa.
facebook
+