terça-feira, 15 de setembro de 2015

OUTRAS SENHORASNo tempo em que outro galarão cantava, um faduncho — Amor de pai — decretava com convicção: Pois o pão que os filhos comem/ É a mãe quem o reparte/ Mas é o pai quem o dá". É a parte final da simpática musiquinha que antecede um chorrilho de disparates sobre as demonstrações de afecto na família. Paulo Portas regressou ao passado, ou nunca de lá saiu? Conservador? Não, há conservadores mais decentes. Isto é muito pior do que isso. 
É excessivamente mau. Inclassificável. 
FONTE EXPRESSO
facebook
+