segunda-feira, 18 de maio de 2015

DELINQUENTES FARDADOS | Sempre que há uma atitude violenta por parte da polícia surge logo, dos confins da moralidade serôdia e marada, o exército do "puseram-se a jeito". Como se uma polícia contemporânea, ao serviço da democracia, pudesse arrear até criar bicho. Percebi que quem chegou a roupa ao pêlo a um pai e a um avô, com a prole a assistir, durante a festança benfiquista, não foi responsabilizado pelo desprezível acto. Quem aquilo fez nunca mais deveria vestir uma farda. Quem cometeu aquela violência deveria estar com a farda de um hospício que lhe fornecesse conceitos de humanidade. Entretanto... ala que se faz tarde. Esta gente não prestigia a polícia, nem a ministra da dita, nem o país Portugal. As cargas de porrada não prestigiam ninguém. São atitudes trogloditas, cometidas por trogloditas. Ponto.
facebook
+