quinta-feira, 30 de abril de 2015

SINDICALISMO PATRONAL | Esta coisa da greve dos pilotos da TAP é de uma originalidade desconcertante. Não sei se têm havido muitos casos destes na história das lutas sindicais. Mas é curioso que trabalhadores lutem, com a legítima arma da greve, para serem patrões. E de uma forma apaixonada, não se importando que depois da luta não reste nada da empresa que pretendem dirigir. Valentes.
facebook
+