terça-feira, 4 de março de 2014

OS INEFÁVEIS | Fui insultado - muito insultado mesmo -, em privado, por ter comentado a atitude lamentável do inefável Zeca Mendonça. Os amigos dizem que o homem é um grande profissional, uma coisa fora de série. Percebo, amigo é para as ocasiões. Mas insisto no reparo: um homem que, quando "se passa", resolve a coisa a pontapé, deve ser tratado com paninhos quentes? Deve ser proposta homenagem? Eu só o conheço de andar a correr atrás dos líderes. A correria até já lhe valeu uma classificação de Vasco Pulido Valente - o "inefável" é do cronista do Público - e nunca lhe ouvi uma ideia, uma nota sequer que o defina como profissional ou "grande carácter". Vi o que ilustrou os comentários - mais as ditas e ridículas correrias - e acho que, sendo aquilo ainda por cima "em defesa" de uma criatura carregada de carácter como o doutor Relvas, deixa-me esclarecido quanto à vossa definição de carácter. Conversados, inefáveis patifes? 
+