terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

PRÓ E CONTRA O QUÊ | Confesso que fiquei confuso com o debate de ontem no Prós e Contras sobre a briosa actividade praxista. 
Fernanda Câncio ainda leu umas passagens do regulamento. A coisa envergonhava. Mas parece que aquilo não é respeitado. Afinal as praxes violentas e humilhantes não existem. Afinal tudo acontece para ajudar quem chega à universidade. Percebeu-se que os jovens da claque aprovadora dão milho aos pombos e ensinam a tabuada aos colegas mais novos. As imagens mostradas no documentário inicial são pura ficção. E mais: apesar da bondade das praxes, os praxados podem sair das actividades caso não aguentem a humilhação, perdão, a ajuda dos colegas mais velhos. A praxe é mesmo uma coisa muito boa para a juventude. Podem limpar as mãos à parede.
facebook
+