segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

ENSAIO SOBRE A PACIÊNCIA | É opinião corrente e frequente que a iniciativa da juventude dita social-democrata foi um disparate. Comentadores, políticos de esquerda e de direita, e toda gente que respeita a democracia e alinha pela tolerância, alertou para esta estupidez inqualificável. Mas o primeiro-ministro veio assinalar a bondade da proposta. Um primeiro-ministro tão disparatado pode ser primeiro-ministro até quando? Um poder tão despudorado e arrogante pode ser exercido sem sobressaltos? Um grupo de deputados amestrados pode desafiar a nossa paciência indefinidamente? Um Presidente sem trambelho permite esta trapalhada e sai em glória? Não podemos deixar estes impostores à solta. A nossa dignidade e a nossa inteligência pedem-nos isso.
facebook
+