segunda-feira, 4 de novembro de 2013

MAD MEN | Há um Orçamento de Estado e há um guião para a reforma do dito. E há um governante que dá o dito por não dito. Portas já não se preocupa com os cortes nas reformas dos mais necessitados, nem com os enormes impostos, nem sequer com os textos que tentam justificar as subtracções. Parece que é unânime: o "guião" para a reforma do estado não adianta nem atrasa. Dar mais corpo ao texto para fornecer mais páginas e para lhe conferir credibilidade, é ridículo. Não há brilho nem valor na expressão deste governo de criaturas frustes e vazias. É mau de mais estarmos entregues a esta trupe de cabecinhas de merda.
facebook
+