quinta-feira, 28 de novembro de 2013


Os teus seios respiram sobre a cama
Adormecidos, nus…Que maravilha!
Teu corpo adolescente é uma ilha,
E tem no meio um bosque que me chama. 
É seda a tua pele… E como brilha
Na luz do abajur que se derrama
No deserto tão branco dessa cama 
Onde dormes e que ninguém partilha 
Olho as pombas rosadas e quietas 
De bicos agressivos como setas…
Eu mando embora os últimos receios
E poiso a boca em lume nos teus seios.
Toda nua, sorrias, acordada.
Tropeçava, sem luz a madrugada

Miguel de Castro
19/11/1997
+