segunda-feira, 1 de outubro de 2012

ROBIN FIOR | Chegou a Lisboa, vindo de Londres, quando a revolta dos militares ainda estava embrionária. Viveu intensamente o 25 de Abril. Não compreendia a cidadania sem a participação política. Participou. Integrou o seu trabalho de designer gráfico nas lutas das esquerdas. Fez tudo o que lhe era exigido: cartazes, folhetos, logótipos, jornais. Conheci Robin no AR.CO. Nunca fui seu aluno, mas percebi a influência que aí exerceu. Ficámos carecas de falar de letras e letrinhas. Foi cá com cada conversa...
Morreu ontem. Obrigado, Robin. Foi um gosto grande conhecer-te.
facebook
+