domingo, 9 de janeiro de 2011



OPINIÃO E LAMENTO | Aviso prévio: não frequentava as opiniões de Carlos Castro, nem lhe apreciava o estilo. Refiro-me à escrita e às suas motivações. Nada contra outras opções perfeitamente encaixadas nos meus códigos morais. Dito isto, e sem que ninguém me tenha encomendado o sermão, acrescento que este caso me chocou profundamente. Falamos de dois seres humanos atingidos por tragédia da grada. Um procura a felicidade e entrega-se sem reservas aos seus deleites. O outro utiliza essa entrega, mas percebe que lhe é exigido algo que, parece, rejeita. Estão em causa carácter, oportunismo, falta de escrúpulos, insegurança, ingenuidade. O conflito instala-se. A pressão atinge proporções insuportáveis. Na maior parte das vezes estes casos não acabam em banhos de sangue. Este acabou. Castro morre na cidade onde queria acabar. Para o rapaz acabam os sonhos. Triste morte. Triste vida.
+