domingo, 16 de janeiro de 2011



O REGRESSO DOS HERÓIS | A Tunísia está a ferro e fogo. O corrupto que se governou à conta do país durante vinte e três anos saiu de cena. Agora esperam-se eleições no prazo de dois meses. Mas uma preocupação paira entre os defensores da democracia: os islamitas, até aqui impedidos de ditar sentenças, querem voltar e governar. Ou seja: uma ideia de civilização parecia estar em marcha lá na terra que se viu livre de um pulha e seus seguidores, mas arrisca-se a ter a intolerância religiosa como timoneira. Oxalá tudo corra pelo melhor. A intolerância não é expressão apreciável de manifestação religiosa. E regressar aos métodos de Maomé não é solução governativa. Boa sorte, tunisinos.
+