domingo, 21 de novembro de 2010



AMBRÓSIO, APETECE-ME ALGO | Não tenho por hábito meter-me na vida dos outros. A vida sentimental do mais famoso ou do mais ignoto ser não me desperta a mínima curiosidade. Cada um anda, namora, casa e vive com quem quer. E que toda a gente viva muito feliz são os meus sinceros desejos. Dito isto, será que as esposas e esposos dos responsáveis por governos e por outras responsabilidades, presentes no Parque das Nações para a Cimeira da NATO, não têm nada que fazer nos países onde os cônjuges governam? Dois dias sem cara-metade por perto eram assim tão difíceis de suportar? Não trabalham? Andam sempre atrás do consorte? A Ministra da Cultura de Portugal fez o acompanhamento. Cicerone de luxo, portanto. Em tempo de austeridade e contenção orçamental, faz sentido andarmos a gastar um dinheirão em mordomias destas? E para quê? Para depois de tanto esforço humano e financeiro, as esposas dos respeitáveis governantes emanarem umas vulgaridades, e mesmo disparates, para enlevo dos jornalistas televisivos em hora de noticiário? Não podiam ter ficado em casa?
+