terça-feira, 5 de outubro de 2010



SISTEMA ALTERNATIVO | Há cem anos a monarquia foi corrida dos tapetes do Poder pela força. Pôs-se a jeito, é certo. Os últimos anos do reinado de Dom Carlos, com o apoio da Igreja mais retrógada (muito longe do actual catolicismo, adepto de um certo progresso e de um útil cosmopolitismo), foram cruciais para a revolta. Todas as revoltas são programadas por elites esclarecidas e depois seguidas pelo povo farto de sofrimento. Depois de muita agitação revolucionária, houve um período de má memória em que os princípios republicanos foram abalados: Salazar tratou de tornar o regime repugnante. Os historiadores chamam a este interregno segunda república. E agora estamos na terceira prestação deste regime que nos foi oferecido há cem anos. Estamos melhor? Quem o sabe? Estamos como estamos. Pelo menos não estamos representados por um soberano imposto por um Deus que não é reconhecido por todos. Claro que o actual Presidente que elegemos é católico. E daí? Até podia ser do Belenenses, que mal tem? Fico contente por poder ter Presidentes agnósticos, escolhidos por mim e por outros como eu. Posso assim dizer com toda a segurança que sou republicano. Acredito que o seria mesmo que vivêssemos em monarquia. Referendo para esclarecer as coisas? Deixem-se disso. Para quê chorar sobre o leite derramado? Para a frente é que é caminho.
+