segunda-feira, 18 de outubro de 2010



O FIM DO MULTICULTURALISMO | A senhora Merkel diz que falhou a tentativa de podermos viver todos ao pé uns dos outros. A chanceler dá a entender que os forasteiros têm de respeitar os valores predominantemente cristãos. Os tais forasteiros acham que não. Acham que devem cumprir as regras que os seus gurus espirituais estimulam. Ora, quem é que pode ser prior numa freguesia destas? Eu pensava que bastava termos um cartão de identificação no bolso para podermos viver no mesmo prédio. A vivência e a harmonia entre povos de diferentes culturas é saudável e recomendável para que um lugar seja cosmopolita e civilizado. Compreende-se a exigência do cumprimento de regras. Se eu não posso questionar, num país árabe, o facto de uma mulher não se sentar comigo à mesa, também na Alemanha, ou em qualquer outro país do lado de cá, não faz sentido a "exibição" do rosto tapado por mulheres religiosamente intransigentes. O problema é que o diálogo entre radicalismos não permite tolerâncias. Com estas declarações da chanceler alemã voltamos à tolerância zero. É mau. Muito mau.
+