segunda-feira, 25 de outubro de 2010



E A POLÍTICA, ESTÚPIDO?! | Os cortes na despesa pública colocaram na praça defensores acérrimos da extinção de tudo o que mexe. Claro que os exageros praticados e animados por sucessivas alternativas de poder alimentaram o gasto. Mas dizermos que tudo o que é público deverá ser penalizado não garante solução razoável. Alguns apreciados comentadores da geringonça televisiva quase que defendem o extermínio. Já ouvi uma das mais conhecidas e bem pagas dessas espertezas lamentar as remunerações que os funcionários recebem depois de reformados. Está bom de ver: vão para a reforma, não trabalham e ainda recebem. Estado Social é exercício supérfulo. Lamentável. Que tal uns fornos crematórios? Alguns comentadores, na maior parte economistas, grupo profissional que mais se engana, repartem a coisa em números e por aí se ficam. Para esta gente não há gente; só números. Tristes números.
+